Ao lado de movimentos sociais, Sindicato protocola pedido de cassação do prefeito Guti na Câmara Municipal

O desrespeito às leis, cidadãos e trabalhadores e trabalhadoras da Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A – Proguaru respalda o pedido de cassação do prefeito Guti protocolado na Câmara dos Vereadores nesta sexta-feira, 17, por movimentos sociais, Partido dos Trabalhadores (PT), comissão de trabalhadores e trabalhadoras da empresa e pelo Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região. Um ato realizado no calçadão da Dom Pedro II com a presença do ex-prefeito de Guarulhos, Elói Pietá, o ex-vice Carlos Derman, por membros de movimentos e trabalhadores e trabalhadoras da Proguaru, além da diretoria do Sindicato, oficializaram o pedido, ocasião em que os presentes também dialogaram com a população.

 

“Nós não estamos pedindo a cassação do prefeito por discordar de suas políticas e posicionamentos, nós estamos protocolando esse pedido porque ele destruiu a Saúde do município, não cumpre decisões judiciais e dá continuidade ao decreto de extinção de uma empresa com mais de 4.500 funcionários e funcionárias. Ninguém está acima da lei, descumprimento de decisão judicial é crime!”, disse o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos.

 

O fechamento da empresa sem qualquer consideração aos seus trabalhadores e trabalhadoras contraria as promessas do prefeito durante sua última campanha a prefeito, quando os rumores de que a extinção estava sendo trabalhada nos bastidores, Guti veio a público e desmentiu as notícias. Dois meses após ser eleito, enviou o projeto de extinção à Câmara e com o apoio de sua base aliada aprovou o fim da Proguaru em dezembro de 2020. “Faz um ano que a luta começou e não houve um dia de paz para os funcionários e funcionárias da empresa, que estão sendo dispensados mesmo com uma liminar que garante seus direitos, uma angústia vivida pelas mais de quatro mil famílias em plena véspera de natal. Nós teremos que paralisar nosso ato em respeito à missa que começará em seguida, peço que os fiéis orem e peçam a Deus por essas famílias que ficarão desamparadas”, concluiu Silvana Kaproski, diretora, secretária de Comunicação do Sindicato e presidenta do diretório municipal Partido dos Trabalhadores.

 

 

Do calçadão da Dom Pedro, o documento foi levado em passeata até a Câmara Municipal, onde foi entregue e protocolado para encaminhamento.

 

Confira galeria de imagens do ato abaixo:

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading