Bancári@s do Banco do Brasil aderem à paralisação programada contra a reestruturação da instituição

Bancári@s do Banco do Brasil decidiram em assembleia virtual realizada no dia 5 de fevereiro que aderirão à paralisação programada agendada para o dia 10 de fevereiro contra a reestruturação da instituição, anunciada em janeiro e que prevê o fechamento de 361 agências e postos de atendimento, além da demissão de cinco mil funcionári@s. O Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região, junto com Sindicatos de todo o país, Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito (Fetec), está empenhado em defender o patrimônio dos brasileiros e brasileiras e o emprego dos funcionários e funcionárias do banco.

 

 

A primeira paralisação programada aconteceu no dia 29 de janeiro e mobilizou postos de atendimento, escritórios e outras unidades do BB em todo o país. Em nossa base, diretoria do Sindicato percorreu agências e dialogou com trabalhador@s sobre o desmonte proposto pelo governo, o objetivo é informar, conscientizar e provocar reflexão.

 

 

Apenas nos primeiros nove meses de 2020, o BB lucrou mais de R$10 bilhões, valor expressivo para um ano pandêmico. “Todo banco lucra, é um absurdo induzir a população a pensar o contrário. O governo quer desmontar o BB, sobrecarregar os funcionários e funcionárias que ficarem nas agências, prejudicar o atendimento à população e, desta forma, justificar a venda do banco, mas não permitiremos”, pontuou o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos.

 

 

No dia 21 de janeiro, a diretoria marcou presença na agência do Banco do Brasil da avenida Brasil, em Ferraz de Vasconcelos, que consta no plano para encerramento das atividades e dialogou com a população.

 

 

O Sindicato também tem marcado presença nos tuitaços realizados por instituições de todo o país com a hashtag #MeuBBvalemais.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading