Com cenário adverso, categoria reflete sobre Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho

Com a pandemia indo além do tempo estimado e ceifando cerca de três mil vidas todos os dias, bancários e bancárias de todo o país enfrentam um período turbulento em meio ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, celebrado em 28 de abril.

 

Em 2021, a data será lembrada num contexto adverso para trabalhador@s brasileir@s por conta dos inúmeros ataques aos direitos trabalhistas, desmontes da Previdência Social, descredibilização do Sistema Único de Saúde (SUS) e pelo fato de que pelo segundo ano consecutivo enfrentam uma crise sanitária mundial sem precedentes em um país que trata o Coronavírus como uma “gripezinha”.

 

Enquanto a vida vai voltando ao normal em países como Estados Unidos, Israel, China e Rússia, o Brasil segue sem perspectivas de melhora a curto prazo, isso porquê tem sua população negligenciada pelo governo Federal  e desacredita das vacinas mesmo com drástica queda de internações e mortes entre os componentes dos grupos prioritários desde que a imunização foi iniciada, em janeiro deste ano.

 

Em reunião do Conselho de Saúde Suplementar nesta terça, 27, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que “a China inventou o vírus e tem vacina menos eficiente do que as desenvolvidas por empresas americanas”. “Tudo nos leva a crer que o governo se esforça muito para prejudicar a relação comercial entre Brasil e China, instaurando uma crise diplomática em um momento em que dependemos dos insumos chineses. Precisamos acelerar a vacinação, mas vemos um show de incompetência na gestão da crise”, explicou o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos.

 

Categoria bancária – Na linha de frente desde o início da crise, bancári@s enfrentam medo da doença, pressão para o cumprimento de metas abusivas, pavor da perda de familiares e colegas de trabalho e convivem com a ameaça diária de demissões, um stress similar ao enfrentado pelos profissionais da saúde. “As consequências de toda essa vivência poderão ser sentidas por anos a fio, a categoria está adoecendo por conta da omissão dos bancos em meio a pandemia, porque banqueiros pensam nos lucros em detrimento d@s trabalhador@s”, relatou o presidente.

 

O Sindicato está com você –  O Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região está em busca de melhores condições de trabalho para que bancári@s possam trabalhar com tranquilidade e orienta que busquem ajuda caso seja necessário. “Nós estamos de plantão, atendendo a todos que nos procuram necessitando de apoio e orientação, inclusive criamos um canal de comunicação direto com o presidente, sem nenhuma burocracia. Não hesite em buscar ajuda caso seja vítima de assédio moral, cobranças abusivas e se não houver condições dignas em seu local de trabalho, nos procure, a sua saúde é mais importante”, finalizou Santos.

 

Dieese – O Dieese lançou um documento sobre o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças de Trabalho com informações sobre desligamentos, pandemia e o contexto com o projeto de desmonte do Estado e estatísticas importantes sobre o momento atual. Para acessar, clique aqui Apresentação DIEESE CUT SP 28 de Abril.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading