Em segunda reunião com Fenaban, Coletivo Nacional dos Bancários cobra posicionamento sobre auxílio doença

Pela segunda vez, o Coletivo Nacional dos Bancários se reuniu remotamente com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para cobrar um posicionamento da entidade sobre a antecipação do salário do(a) profissional afastado(a) por motivos de saúde, isso porquê durante a pandemia  – em muitos casos – os bancos não têm cumprido a cláusula 29 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) sob a alegação de que sem perícia não há geração do afastamento.   O encontro virtual aconteceu no dia 2 de dezembro e os esclarecimentos solicitados foram sobre a interpretação da cláusula que trata sobre a complementação salarial aos bancários e bancárias afastados por doença e que prevê a complementação total do salário, além do pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), vales alimentação e refeição e etc. “Inicialmente, os representantes da Fenaban se mostraram preocupados, mas não nos deram nenhuma resposta consistente, pelo contrário, pediram o encaminhamento do debate aos COEs dos bancos e o agendamento de uma nova reunião”, explicou a secretária de Saúde e diretora do Sindicato Daniela Cucio. O Itaú já iniciou os debates, mas os débitos dos trabalhadores(as) está sendo feito sem negociação e sem parcelamento.   Fenaban –  A exemplo da primeira reunião, realizada em 28 de outubro, a Fenaban pediu um prazo sobre a questão. Ainda sem data definida, o novo encontro deve ser realizado apenas no início de 2021.   O Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região orienta bancários e bancárias que estejam passando pelo problema e que não estejam sendo amparados pela cláusula 29 da CCT procurem a Secretaria de Saúde do Sindicato através do telefone (11) 2440-7888 ou e-mail saude@bancariosdeguarulhos.com.br  para que o caso seja analisado e encaminhado.      

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading