Para conscientizar clientes sobre os problemas enfrentados na Pandemia, Sindicato lança a campanha “A Culpa é do Banqueiro”

 

De um lado filas, déficit de bancários e bancárias nas agências, aglomerações, riscos de contaminação, óbitos, demissões em massa e do outro banqueiros que lucram bilhões em cima do sofrimento da categoria e dos clientes. O problema é antigo e foi agravado pela pandemia, mas afinal de quem é a culpa da falta de organização e demora no atendimento?

 

Para conscientizar os clientes sobre os problemas enfrentados diariamente pela categoria para que o atendimento seja mantido com o mínimo de dignidade, o Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região lançou a campanha “A Culpa é do Banqueiro”. “A falta de gestão e de tato com os funcionários , funcionárias e usuários dos serviços bancários estão ainda mais evidentes desde o início dessa crise sanitária provocada pelo Coronavírus, mas o descaso sempre aconteceu. Os banqueiros e gestores financeiros não apresentaram nenhum plano efetivo para conter a disseminação do vírus, não protegeu a categoria e tampouco clientes, demitiu bancários e bancárias mesmo se comprometendo a não demitir e instaurou o caos nas agências”, explicou o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos.

 

Apenas no primeiro trimestre de 2021, os cinco maiores bancos do país lucraram mais de R$18 bilhões, uma alta de 35,2% se comparado ao mesmo período do ano passado e não houve investimento algum na contenção das aglomerações que acontecem nas portas das agências, a exemplo da Caixa Econômica Federal e Banco Mercantil do Brasil e tantos outros, que realizam o pagamento do auxílio emergencial (nesse caso apenas a Caixa) e concentram parcela significativa de aposentados e pensionistas. “Bancários e bancárias estão exaustos, trabalhando até 14 horas por dia para dar conta da demanda, enfrentando o vírus de peito aberto e sem prioridade na vacinação, além das ameaças de alguns clientes que não entendem a situação e da cobrança por metas abusivas, por isso é tão importante que as pessoas conheçam a realidade desses trabalhadores e trabalhadoras e possam cobrar a quem de fato deve ser cobrado: os banqueiros”, ressaltou o presidente.

 

Desligamentos – Ainda no início da pandemia, entre março e abril de 2020, os bancos assinaram um termo de compromisso onde se comprometiam a não demitir enquanto a crise sanitária não fosse de fato controlada. Compromisso que foi sumariamente desrespeitado pelos banqueiros, já que entre março do ano passado e fevereiro de 2021, foram dispensados mais de 13 mil funcionários e funcionárias.

 

Além disso, dados apurados pelo Departamento de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o Dieese, apontam que o número de desligamentos por morte na categoria bancária tiveram um aumento de 176% durante a pandemia. “Toda essa situação é fruto do descaso dos gestores que só se preocupam com lucro, para eles a vida pouco importa. Se o cliente não tem o atendimento qualificado, com garantia de distanciamento social, no tempo recomendável e ainda correndo o risco de contaminação enquanto aguarda, a culpa é dos banqueiros sim!”, concluiu Santos.

 

Redes Sociais – Durante a circulação da campanha, o Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região e diretoria compartilharão os motes nas redes sociais com a hashtagh #ACulpaédoBanqueiro. Ajude a mensagem chegar aos clientes das instituições bancárias, compartilhe os posts, use nossa hashtag para pressionar os gestores a melhorarem o atendimento para o público, assim como as condições de trabalho da categoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading