Santander descumpre acordo e demite mais de 400 pessoas em plena pandemia

O Santander é aquela instituição que investe pesado em marketing, que ganha os clientes com uma publicidade em feita veiculada no horário nobre da maior emissora do país, e emociona com as propagandas, mas que na prática não é capaz sequer de cumprir os acordos que fecha. Isso porquê, mesmo após ter garantido que não haveria demissões durante a pandemia, dispensou 433 bancários e bancárias en apenas um mês.

 

Mas o número pode ser ainda maior, já que além de descumprir acordos o Santander também não divulga os números oficiais e estes dados são fruto de um levantamento de Sindicatos de todo o país.

 

 

No dia 1 de julho, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) se reuniu com o banco, porém quando entraram no assunto das demissões o Santander se negou a falar sobre o assunto, um desrespeito com todos os seus funcionários.

 

A preocupação com o cenário de crise sanitária e, consequentemente, econômica (menos para os banqueiros) o banco tem cobrado metas abusivas e inclusive lançou uma campanha para “motivar” o time, chamada de Motor de Vendas.

 

Veto – Enquanto os Sindicatos e Confederações atuam na tentativa de proteger renda e emprego de milhões de trabalhadores e trabalhadoras pelo país, o presidente Jair Bolsonaro usa sua caneta para proteger grandes empresários e banqueiros.

Bolsonaro sancionou com vetos o Programa Emergencial de Manutenção e Renda, retirando do texto original o trecho que retira a obrigatoriedade de mudança nas convenções coletivas apenas mediante negociação coletiva, mais um de seus sanguinários ataques à classe trabalhadora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading