Sindicato atuante, categoria forte! Com acordo de dois anos, bancári@s conquistam reajuste de 10,97% em 2021

O acordo de dois anos negociado pelo Comando Nacional dos Bancários com a Federação Nacional dos Bancos, Fenaban, em 2020, após longa negociação entre categoria e bancos mostrou-se eficiente e vantajoso. Graças ao documento, bancários e bancárias de todo o país receberão um reajuste de 10,97% nos salários, vale refeição e alimentação e demais benefícios econômicos já garantidos pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

 

 

Uma vitória para a categoria, fruto da luta sindical, que em um cenário de alta da inflação e perda do poder de compra, consolida-se como uma das poucas a conquistarem dissídio com aumento real no período. “Quem acompanhou as negociações para fechar o acordo de dois anos em 2020 sabe como foi difícil chegar a uma CCT que beneficiasse a categoria,  houve tentativa de retirada de conquistas e desmonte, mas o Comando Nacional não recuou e conquistou um acordo vantajoso”, explicou o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos.

 

 

O Dieese compilou dados do Ministério do Trabalho e divulgou que até julho de 2021, apenas 17,5% das negociações foram acima do INPC, 32,2% iguais ao INPC e 50,3% ficaram abaixo do INPC. “Com a inflação em alta, os constantes ataques à Democracia  e os desmontes propostos pelo governo neoliberal de Bolsonaro, mais da metade dos trabalhadores e trabalhadoras do país terão perdas salariais”, relatou o presidente.

 

Confira algumas categorias que tiveram reajuste abaixo do INPC e compare:

 

 

Jornalistas – reajuste de 4,90%

Trabalhador@s da Construção Civil – 6,92%

Telemarketing – 4,90%

Professor Ensino Fundamental – 3,80%

Vigias – 4,80%

Enfermeiros – 4,70%

Comerciários – média de 2,94%

 

 

Além disso, a maioria não conta com os benefícios conquistados pela categoria bancária, como: licença maternidade de seis meses, licença paternidade de 20 dias, auxílio creche, auxílio funeral, complementação salarial, remuneração garantida para quem aguarda perícia do INSS, cesta alimentação, abono assiduidade, adiantamento emergencial e tantos outros.

 

 

PLR e acúmulo de 21,94% de ganho real nos últimos 17 anos

 

 

O acordo garante que o reajuste de 10,97% também incida sobre a Participação nos Lucros e Resultados, tanto nas parcelas fixas e adicionais quanto sobre os tetos: a primeira parcela que deve ser paga até dia 30 de setembro deste ano e a segunda que deve ser paga até março de 2022, quando os bancos fecham seus balanços e consolidam seus lucros. “Muito já foi feito, mas ainda estamos distantes de consolidar direitos para uma cidadanis plena. Constantemente nos vemos ameaçados pelo impulso da exploração para retirada dos direitos já conquistados, o que não podemos permitir”, concluiu o presidente.

 

 

Prova da luta do movimento Sindical são os aumentos reais consecutivos registrados ao longo dos anos. De 2004 para cá, o ganho real acumulado nos salários é de 21,94% e esse percentual é ainda maior nos pisos salariais, onde a categoria acumula 43,56%, isso porquê por muitos anos os pisos sofreram reajuste diferenciado. Fruto da luta sindical!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading