Sindicato participa do Dia Nacional de Lutas contra a reestruturação do BB com atividade em Ferraz de Vasconcelos

Os diretores e diretora do Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região estiveram na agência do Banco do Brasil (avenida Brasil) em Ferraz de Vasconcelos nesta quinta, 21, pelo Dia Nacional de Lutas contra a reestruturação proposta pela direção do Banco do Brasil.

 

 

O que o governo chama de reestruturação é, na prática, o desmonte do banco, com previsão de fechamento de centenas de agências, postos de atendimento e escritórios, além da demissão de cinco mil bancários e bancárias.

 

 

Além de conversar com a população, o Sindicato também marcou presença no tuitaço realizado por instituições de todo o país com a hashtag #MeuBBvalemais.

 

“Essa é uma das agências previstas para encerrar suas atividades, o Banco do Brasil está sofrendo um forte ataque deste governo. E o papel social da instituição? 70% dos agricultores familiares são financiados pelo banco, qual banco privado arcará com esse percentual? Estamos aqui para denunciar essa política porca, esse processo de desmonte não passará. Sem resistência, não haverá solução”, relatou João Cardoso, diretor do Sindicato e bancário do BB.

 

Luis Carlos dos Santos, presidente do Sindicato, falou sobre precarização do atendimento, os desmontes e incluiu a pandemia e a irresponsabilidade dos governantes em seu discurso. “Ao invés de proteger o patrimônio, o governo está trabalhando para destruir o que é do povo, vamos lutar pelo impeachment do Bolsonaro, que faz piada com mortes.

 

 

Poderíamos dar o exemplo, mas o presidente faz jogo político com Doria por uma vacina, politizar um imunizante é absurdo em vários níveis. Queremos autonomia científica e boas condições de vida para a sociedade”, pontuou.

 

 

Nos primeiros nove meses de 2020, o Banco do Brasil lucrou mais de R$10 bilhões, um valor expressivo para um ano pandemico. “Todo banco lucra, é um absurdo induzir a população a pensar o contrário. Quem vai absorver os clientes das agências quando elas fecharem?”, questionou Silvana Kaproski, diretora do Sindicato.

 

Esse plano de desmonte do Banco do Brasil prejudica a população pois afeta diretamente o atendimento nas agências, utilize a hashtag #meuBBvalemais.

 

Greve – Dia 29 de janeiro, as agências do Banco do Brasil fecharão suas portas por 24 horas em retaliação a reestruturação e desmonte da instituição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading