Sindicatos dos Bancários e dos Vigilantes unem-se para melhorar condições de trabalho

A diretoria do Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região recebeu o presidente e o tesoureiro, José Winter e Miguel Abbud respectivamente, do Sindicato dos Vigilantes de Guarulhos e Região na segunda, dia 04, para discutir alternativas que melhorem as condições de trabalho dos vigilantes e, consequentemente, elevar a segurança dessa categoria, bancári@s e clientes. 



O encontro foi norteado pela série de problemas enfrentados pelos principais responsáveis em zelar pela segurança das agências. De acordo com Winter, presidente dos Vigilantes, os trabalhadores e trabalhadoras desempenham o famoso papel do “faz de tudo”, além de serem fiscalizados pela instituição bancária e pela empresa terceirizada que o contrata. “Eles enfrentam problemas com armamentos, problemas com as portas, vivem sob forte stress por se preocuparem com a revista e para evitar ofender clientes e são mal remunerados mesmo desempenhando tantas atribuições e agindo pela vida e patrimônio alheios”, explicou.



Almocista – um dos problemas enfrentados pela categoria é a ausência de um profissional que cubra @s trabalhador@s para que possam almoçar, o almocista. Os vigilantes cumprem jornada de oito horas diárias nas agências e devem se alimentar antes ou depois do expediente, prejudicando sua performance e sua saúde. “Há dois anos essa situação surgiu no Santander e agora, para nosso espanto, também foi identificada no Itaú e no Bradesco e a justificativa é que a contratação fica cara para os bancos”, relatou Winter. Após investidas de ambos os Sindicatos, a situação no Santander e no Itaú foi, no momento, resolvida.



Outro ponto de discussão trata-se especificamente da jornada de trabalho desses profissionais. De acordo com Abbud, tesoureiro dos Vigilantes, estudos apontam que @s trabalhador@s  mantém-se atentos por seis horas, mas que atuam por oito horas ou mais, dependendo da necessidade das agências. “Ninguém está seguro dessa forma”, esclareceu.

 

,

Para Wanderley Ramazzini, presidente do Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região, a luta conjunta é de extrema importância para unir as categorias em prol de um objetivo comum: preservar vidas. “O diálogo é importante e é com ele que nos organizaremos para garantirmos a segurança de todos que atuam nas agências com ações pensadas em conjunto”, concluiu. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading