Síndrome de Burnout passa a ser tratada como doença ocupacional no Brasil

Com a nova classificação da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a Síndrome de Burnout o problema – que era tratado como quadro psiquiátrico ou como problema de saúde mental – passa a ser considerado como doença ocupacional, com Classificação Internacional de Doença (CID) 11. Desta forma, desde o dia 1º de janeiro a Burnout está oficializada como estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso.

 

Apesar de ter entrado em vigor apenas no início de 2022, as alterações aconteceram durante conferência realizada em 2019 e, para que os direcionamentos fossem mudados, a OMS analisou estatísticas e tendências de saúde. Doenças como estresse pós-traumático, distúrbio em games e resistência antimicrobiana fazem companhia ao Burnout no CID 11.

 

Comum na categoria bancária, a Síndrome pode ser desenvolvida a partir de metas impossíveis de serem batidas, assédio moral, excesso de trabalho, onda de demissões entre outros, que levam o indivíduo ao esgotamento mental e físico. “Nós temos o conhecimento da quantidade de bancários e bancárias que sofrem com o Burnout e que não tinham respaldo algum sobre o problema desenvolvido graças ao ambiente tóxico de trabalho. O ideal é que a categoria tivesse um ambiente saudável e que os gestores apoiassem a capacidade de seus funcionários e funcionárias, mas não é o que acontece e o resultado nós já vivemos no dia a dia, estamos esperançosos de que esse reconhecimento possa amparar profissionais, para que não passem por isso sem respaldo”, explicou a secretária de Saúde do Sindicato dos Bancários, Daniela Cucio.

 

É importante reunir laudos médicos, fazer os tratamentos disponíveis, para que quando comprovada a Síndrome e se houver  necessidade da busca por responsabilização judicial do empregador, estes sejam usados como prova. “Quando a Burnout é comprovada, o funcionário/funcionária poderá ser afastado pelo Instituto Nacional de Seguridade Social, com todos os seus direitos preservados, e essa é uma grande conquista para a nossa categoria que é tão afetada”, concluiu Daniela.

 

Se houver dúvidas ou precisar de orientação, procure o Sindicato através do telefone (11) 2440-7888 ou através do e-mail saude@bangnet.com.br.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading