Apesar de texto principal ser aprovado em primeiro turno, Maia suspende votação com medo de uma reforma ‘Frankenstein’

Ao ver que a aprovação da refoma da Previdência podria ser uma espécie de fraude conceitual em função dos inúmeros destaques adicionais que a desidratram, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, interrompeu abruptamente a votação e deixou para esta quinta-feita (11) sua conclusão.

 

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que “apesar da larga vantagem com que o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta-feira (10), o texto-base da proposta de reforma da Previdência, o fim da votação da proposta nesta semana está ameaçado.”

 

A matéria ainda acrescenta que “o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão de forma abrupta quando percebeu que havia um movimento para desidratar o texto principal.  Ainda precisam ser votados cerca de 20 destaques, que são tentativas de alterar pontos específicos da proposta.  ‘E se estava desorganizado no primeiro [destaque], o segundo tem uma perda muito grande de economia. Então é melhor parar e retomar amanhã’, disse Maia. ‘Logo no primeiro destaque eu entendi que os deputados estavam confusos em relação ao mérito do destaque.

 

Isso significa que se concentrou muito no mérito do texto principal da PEC (proposta de emenda à Constituição) e não se organizou os votos com os parlamentares. O formato de o governo não ter uma articulação maior acaba desorganizando as informações’.”

 

Fonte> Brasil 247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading