Sindicato realiza atividade contra demissões no Bradesco nesta terça, dia 23 de novembro

Apesar de ter lucrado R$19,602 bilhões apenas nos primeiros nove meses de 2021 e conquistado um crescimento de 55% em seus lucros, o banco Bradesco segue sucateando condições de trabalho, fechando agências, elevando o preço das tarifas cobradas e demitindo bancários e bancárias em todo o país. Em protesto contra os desmontes propostos pelo banco, o Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região participa nesta terça, dia 23, do Dia Nacional de Luta no Bradesco com uma atividade na agência 154 da rua Capitão Gabriel, em Guarulhos, das 10h ao 12h, para dialogar com clientes e bancári@s.

 

 

Em apenas 12 meses a instituição fechou 765 agências, 120 postos de atendimento e fechou 8.198 postos de trabalho. No mesmo período, demitiu 3.800 trabalhadores e trabalhadoras no Brasil, 90 deles residentes em Guarulhos.

 

 

Ao transformar suas agências em Unidades de Negócios, o Bradesco não prejudica apenas seus funcionários e funcionárias, prejudica também o cliente ao oferecer

 

  • Segurança fragilizada, sem vigilantes e portas com detector de metais;
  • Atendimento seletivo, extinguindo caixas e cofres e oferecendo apenas operações de negócios;
  • Redução do número de Caixas Eletrônicos, demissão de bancários e bancárias e consequente aumento no tempo do atendimento.

 

O Bradesco é o segundo maior banco privado do país e mesmo lucrando bilhões demite sem pena, adoece empregados e empregadas com a sobrecarga e prejudica a população que necessita de atendimento. O movimento sindical luta pela manutenção dos empregos e pela qualidade e respeito no atendimento ao cliente e nas redes sociais usa a hashtag #QueVergonhaBradesco para compartilhar informações e mostrar a indignação da categoria.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading