Após cinco meses do desabamento, vereadores são impedidos de acompanhar fiscalização do aterro sanitário em Guarulhos

Prestes a completar cinco meses do deslizamento do aterro de lixo em Guarulhos, o Judiciário autorizou o envio de uma equipa da perícia técnica ao local do incidente na tarde desta segunda, dia 20, na tentativa de identificar os motivos e apontar os responsáveis deste desastre que aconteceu em 28 de dezembro do ano passado.

 

Como uma das funções básicas do Poder Legislativo é fiscalizar, as vereadoras Janete Pietá, Sandra Gileno e o vereador bancários José Luiz Ferreira Guimarães estiveram no local para acompanhar a perícia, mas foram impedidos de entrar no aterro pelo empresa Proactiva, que administra o local.

 

A empresa Proactiva já era a responsável pela gestão do local quando houve o desastre às vésperas do ano novo e continua contratada e remunerada pela Prefeitura para cuidar do aterro que deixou desabar. Ela pertence ao mesmo grupo francês que controla o aterro da Capital onde está sendo depositado agora o lixo de Guarulhos.

 

A Prefeitura tem uma dupla despesa que gera ganhos para o mesmo grupo privado: paga para depositar o lixo no aterro da Capital, e paga para a empresa que administra o seu aterro por ora desativado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading