Cresce a crise da saúde, volta o assunto IPTU, e outra notícias

PA PARAÍSO COMEÇOU A FECHAR NESTA QUARTA (13), UPA SÃO JOÃO TEVE PROTESTO POPULAR

Nesta quarta (13) o Pronto Atendimento do Jardim Paraíso, que atende a vasta região do Taboão, começou a fechar suas portas. No dia 19 (terça) está previsto o fechamento definitivo daquela unidade de saúde de Guarulhos, para reformas durante 1 ano. A referência para o atendimento é a UPA do Jardim Paulista/Parque Continental, a 9 quilômetros de distância e sem linha de ônibus direta. Certamente as pessoas que necessitam de atendimento vão desembarcar no Hospital Municipal de Urgências (HMU), na metade do caminho e com linha de ônibus direta, ampliando as dificuldades de um hospital em crise. A UPA São João, por outro motivo, atraso nos pagamentos de seu pessoal terceirizado, vinha atendendo só urgências e emergências. Ontem (13), de manhã, houve manifestação de protesto da população em frente à UPA. O salário dos funcionários foi depositado, tendendo a regularizar o atendimento, menos na parte da segurança, que continua sem receber, e se recusando a trabalhar.

ORÇAMENTO 2018 REDUZ GASTOS COM SAÚDE EM GUARULHOS

Os recursos para saúde no Orçamento da Prefeitura em 2018, que será votado nesta quinta (13) na Câmara Municipal, serão inferiores aos gastos em 2017. Por 10 votos da maioria, contra um único voto da representante do PT, a Comissão Especial da Câmara deu parecer favorável ao Orçamento nestas condições. A redução de valores entre o previsto para o ano que vem e o realizado em 2017 fica menos 9%. Inclusive são reduzidos os recursos para medicamentos e insumos para hospitais e unidades de saúde, um dos ingredientes da crise atual. A atenção básica (UBSs, CAPSs, etc.) tem recursos transferidos para a alta e média complexidade (Hospitais, UPAs), que foram todos transferidos para empresas privadas.

PREVISÃO DE MENOS RECURSOS EM 2018 PARA ÁREAS SOCIAIS

Não só a saúde perde no Orçamento da Prefeitura de Guarulhos para 2018. É também prevista redução nos recursos da assistência social, da cultura, dos esportes, do auxílio a desempregados/as, de mutirões de pavimentação na periferia, de assistência especial a mulheres e à juventude. Aos poucos, a linha da nova administração vai se revelando. Muita prioridade ao repasse de serviços e bens públicos ao setor privado (que evidentemente vai buscar lucros), em detrimento de atividades próprias do poder público para redução das desigualdades sociais.

Fonte: GRU360.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *