Lula estará em Porto Alegre nesta terça (23)

“Lula decidiu com o coração estar nesta terça-feira (23) em Porto Alegre”.

 

Foi com essa afirmação que a presidenta Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffman, deu inicio a coletiva de imprensa da Frente Brasil Popular, na tarde desta segunda-feira (22), na capital gaúcha. Segundo ela, “Lula quer agradecer toda mobilização nacional e internacional em defesa dele ser candidato”.

 

A coletiva, que aconteceu na Federação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras em Instituições Financeiras (Fetrafi), durante o “Ato de Juristas e Intelectuais em Defesa da Democracia “, teve como principal objetivo fazer um balanço das manifestações desta segunda (22) e reafirmar as atividades da próxima terça (23), data que antecede o julgamento do ex-presidente Lula – na quarta (24),  Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) julga recurso da defesa de Lula contra condenação imposta pelo juiz de primeira instância, Sérgio Moro.

 

Para defender a democracia e o direito de Lula ser candidato, Porto Alegre avermelhou. Já são cinco mil pessoas. Além do acampamento do MST (Movimento do Sem Terra), mais de 500 ônibus de sindicalistas, políticos, lideranças populares e militantes de partidos e movimentos populares estão chegando de todo o país e da América Latina.

 

A vice-presidenta Nacional da CUT, Carmen Foro, explicou que é fundamental a classe trabalhadora defender o direito do Lula ser candidato, não somente por quem ele é, mas também pelo que ele representa.

 

“Defender o direito do Lula ser candidato é defender o direito político e democrático do ex-presidente. Para nós da CUT, defender o Lula é defender a classe trabalhadora. Foi no governo dele que conquistamos a política de salário mínimo, minha casa minha vida, políticas  essenciais no desenvolvimento do campo, como crédito para os pequenos agricultores, Programa de Aquisição de alimentos, entre outros”, afirmou Carmen.

 

“A maioria do povo quer eleger Lula presidente. Segundo pesquisa CUT/Vox populi, 42% votaria no ex-presidente. Quem tem que decidir o que é melhor para o país é o povo, nas urnas, e não o judiciário. As mobilizações aqui em Porto Alegre demonstram isso”, destaca a vice-presidenta da CUT.

 

Para o vice-presidente do PT nacional, Alexandre Padilha, o primeiro dia de mobilização em defesa do Lula ser candidato teve duas vitórias.

 

“As atividades organizadas pelas frentes, Brasil Popular e Povo Sem Medo, partidos políticos, Fundações Perseu Abramo e Mauricio Grabois, aconteceram pacificamente e não vimos nenhum jurista conceituado defender a sentença do juiz de Curitiba”, contou entusiasmado Padilha.

 

A coletiva de imprensa também contou com as presenças do presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, presidente do PT-RS, Pepe Vargas, da vice-presidenta do PCdoB-RS (Partido Comunista do Brasil),  Abigail Pereira, representante da Frente Povo Sem Medo e militante do Psol, Bernadete Menezes (Berna), e presidente da CTB-RS, Guiomar Vidor.

 

22 de janeiro de mobilização

 

Logo pela manhã mais de dois mil militantes do MST (Movimento dos Sem Terra) ocuparam  pacificamente Porto Alegre, numa onda vermelha parando toda a cidade. Na Fetrafi, ainda na parte da manhã, o Seminário “Diálogos Internacionais sobre a Democracia” reuniu sindicalistas, parlamentares, movimentos sociais, partidos políticos, do Brasil, da América Latina e Europa.Com a plateia lotada, os participantes da atividade denunciaram a justiça brasileira e os golpes na América Latina.

 

“A atividade teve caráter internacional  para denunciar ao mundo o que está acontecendo com a democracia brasileira, que julga e condena sem provas. Defender o direito do Lula ser candidato é defender a classe trabalhadora”, explicou o presidente da CUT RS, Claudir Nespolo, se referindo ao principal objetivo do golpe parlamentar, jurídico e midiático  que impediu a presidenta Dilma Rousseff de continuar governando.

 

“Lula representa os direitos do povo e um país mais justo e solidário. O que eles querem para finalizar o golpe é não deixar o Lula ser candidato. Mas quem tem que decidir o que é melhor para o país é o povo, nas urnas”,  completou Claudir.

 

Depois do almoço, os estudantes voltaram a repetir o feito de 61, para mais uma vez defender a democracia: UNE e UBES transferem neste dia 22 de janeiro de 2018 suas sedes para a capital gaúcha e se mobilizam contra o processo judiciário marcado por perseguições e decisões parciais contra o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Há 57 anos, pós a renúncia do presidente Jânio Quadros, uma forte pressão política ameaçava a posse do vice João Goulart, o que gerou grande mobilização estudantil. Na época, a UNE transferiu temporariamente sua sede para Porto Alegre, marcando para sempre a história do país na Campanha da Legalidade.

 

23 de mobilização

 

Logo pela manhã desta terça (23) as mulheres vão ocupar a Assembleia Legislativa de Porto Alegre em defesa da Democracia e de Lula ser candidato. Com a presença da ex-presidenta Dilma, a atividade contará com parlamentares, lideranças sindicais,políticas e populares.

 

As 14h terá a “Ação Global Anti Davos”,contra o ataque neoliberal no mundo. É uma atividade que contrapõe o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suiça, onde o mercado dita regras do mundo, que acontece no mesmo dia. E as 16h começará a concentração para a Grande Marcha na Esquina Democrática (Centro de Porto Alegre) e Ato político cultural com presença do ex-presidente Lula.

 

Para saber mais detalhes da programação é só acessar comlulaempoa.com.br

 

Informações CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading