Sindicato dos Bancários se reúne com Superintendência da Caixa para debater denúncias

*Sindicato dos Bancários se reúne com Superintendência da Caixa para debater denúncias*

O Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região, em parceria com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, a Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal (APCEF/SP), se reuniu com a Superintendência Leste da Caixa Econômica Federal (CEF) na manhã desta quinta, 2, para discutir uma série de denúncias dos bancários e bancárias da instituição sobre pressão por metas, horário de entrada e adesão ao programa “Quero Atender”.

A reunião foi marcada pelas denúncias e debatida com os representantes da superintendência. O protocolo adotado em casos de contaminação por Covid – 19 e cobranças por metas através do whatsapp também entraram na pauta.

“É importante ter clareza de que o Whatsapp *não* é um instrumento normatizado de trabalho, pode e deve ser ferramenta institucional da empresa para agilizar o atendimento e comunicação com os clientes, mas não como ferramenta interna de cobrança por metas para os empregados em qualquer nível”, explicou Roberto Leite, diretor do Sindicato e bancário da CEF.

Outro importante ponto colocado em debate foram as dificuldades da sociedade diante do cenário econômico. Nesse momento de incertezas, como podem as pessoas adquirirem uma previdência privada, se é um investimento de longo prazo e que retira a liquidez do cliente que venha a adquirir. Enfatizamos também a demora em geral para chegar ao micro, pequeno e médio empresariado algum programa ou linha de crédito especial, assim como a demora para o pagamento do auxílio emergencial, o que dificultou a manutenção do isolamento social, além de causar um represamento de demandas, que causaram conflitos e filas nas agências quando iniciaram os pagamentos e agora a procura pelas linhas de crédito para Pessoa Jurídica (PJ).

É importante lembrar que tivemos redução de 20 mil postos de trabalho desde 2016, o que contribui diretamente para o agravamento do problema. A comissão formada pelos Sindicatos e pela APCEF foi informada de que as questões que causaram filas foram otimizadas e que há 15 dias a CEF disponibilizou uma linha de crédito atrativa para atender essa parcela do empresariado.

Em resposta às demandas, o superintendente Flávio informou que não há cobrança abusiva de metas, mas sim uma distribuição de tarefas dentro de um plano de trabalho. Além disso, informou que orientou, durante uma videoconferência, que gerentes não precisam chegar às agências 7h e que as fotos solicitadas pelos gerentes gerais na abertura das agências trata-se de uma questão para auxiliar a gestão nas agências mais lotadas.

Sobre o “Quero Atender” – programa criado para que funcionários e funcionárias retornem ao trabalho presencial (em tese) por livre e espontânea vontade, o superintendente afirmou que não há pressão para adesão.

Ao final do encontro, Flávio falou sobre o protocolo de segurança adotado para casos de contaminação pelo Coronavírus e disse que é favorável ao bom senso. Todas as instituições presentes reforçaram que é obrigação da CEF garantir a segurança dos clientes, empregados e também terceirizados.

O Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região orienta que nos casos em que a postura adotada pelos gestores estiverem contrariando a posição do superintendente Flávio, as denúncias sejam encaminhadas para o e-mail denunciaassediomoral@bangnet.com.br ou através do whatsapp (11)97643-2611. O sigilo da identidade do denunciante é garantido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading