Tentativa de roubo com morte é prova de que bancos precisam investir mais em segurança

A manhã de sexta-feira, dia 6 de março, transcorria tranquilamente em um hipermercado de Itaquaquecetuba até a chegada de um carro-forte para o abastecimento dos caixas eletrônicos do Bradesco. Mas a rotina daquele dia foi quebrada com a tentativa de assalto que vitimou dois seguranças, levando um deles à morte. O caso está sendo investigado pelo 5º DP de Furto e Roubo a Bancos, na Capital.

 

O cenário é de guerra. O tiroteio atingiu a mobília, monitores, os vidros da fachada, mas poderia ter sido ainda pior, já que os bancários que estavam no local (dois) e clientes e usuários do banco e do hipermercado não foram atingidos. “Essa ação que aconteceu no Bradesco só nos prova o quanto o investimento em segurança é importante e nenhum banco está livre. Isso serve de alerta ao Santander que tem precarizado a segurança em algumas cidades do país, como em Ferraz de Vasconcelos”, explicou o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos. Vale ressaltar que, o carro forte deve ficar estacionado para executar o serviço de abastecimento e recolhimento de valores no máximo uns 15 m.

 

Quanto ao ocorrido no Bradesco, o Sindicato compareceu ao local para acompanhar os bancários que estavam em serviço no momento do tiroteio e solicitou a dispensa do trabalho para acompanhamento psicológico, transferência de posto (pelo menos por um período) e também emissão do CAT.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading