Ministro da Saúde muda discurso pela segunda vez e recomenda “Se a gente sair andando todo mundo de uma vez, vai faltar pro rico, pro pobre”

Henrique Mandetta, o ministro da saúde de Bolsonaro, mudou novamente o seu discurso em coletiva realizada neste sábado, 28. Na terça-feira, ele havia adotado o tom do presidente, recomendando o isolamento apenas de idosos e doentes crônicos, mas voltou atrás e pediu para que as pessoas fiquem em casa.

 

O discurso, que pode custar seu cargo, foi enfático na defesa do isolamento geral. Mandetta justificou sua fala de que a população deve permanecer em sua casa citando a sobrecarga do sistema de saúde, aumentando a letalidade do Covid-19 por falta de leitos e de UTI, tanto no sistema público quanto no sistema privado.

 

O ministro citou que o isolamento contribuiu também na queda dos acidentes de trânsito, o que liberou espaço no sistema para o tratamento das vítimas do Coronavírus.

 

“Além de diminuir a transmissão, diminuímos os traumas. Dessa forma, os equipamentos serão utilizados pelos profissionais que precisam. Porque se a gente sair andando todo mundo de uma vez vai faltar pro rico, pro pobre, pro dono da empresa, pro dono do botequim, pro dono de todo mundo”, relatou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading