Presidente do Sindicato entra com ação conjunta contra cobrança da taxa do lixo em Guarulhos

Sob o argumento mentiroso de obrigatoriedade federal, o prefeito de Guarulhos – o Guti (PSD) – aprovou com apoio  da base aliada a Lei 7.938, de 28/09/2021, que institui a Taxa de Resíduos Sólidos (TRS), conhecida na cidade como “taxa do lixo”, gerando mais um imposto e onerando o bolso do trabalhador/trabalhadora guarulhense. O Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região, na pessoa do presidente Wanderley Ramazzini, posicionou-se a favor da população e entrou com uma representação no Ministério Público, através de uma ação conjunta, contra a implantação de mais uma taxa.

 

Os carnês começaram a ser enviados aos munícipes no meio do mês de maio com vencimentos nos dias 28 e 29 com opções de pagamento trimestral ou com valor integral, válido até o final de 2022 e, desde então, o assunto tem causado revolta nas redes sociais. “Nós, enquanto Sindicato, somos contra a criação de uma taxa que a Prefeitura estampa como Lei Federal em suas cobranças, mas não é lei federal, é lei municipal criada no ano passado. Guti mente, da mesma forma como mentiu na campanha eleitoral, com a extinção da Proguaru e criação do  aterro do Cabuçu, até quando aguentaremos as  mentiras desse prefeito?”, questionou Ramazzini.

 

Além da ação impetrada, o Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região também marcou presença em manifestações contra a cobrança da taxa e na sessão da Câmara que deveria ter votado projeto para revogar o novo imposto.

 

A ação conjunta contra a taxa do lixo enviada ao Ministério Público pede urgência em adiar os vencimentos para o final de junho de 2022, que os funcionários e funcionárias da Prefeitura analisem particularmente cada caso (especialmente no que diz respeito à impossibilidade de pagamento em face de ausência de renda) e que seja aberta a possibilidade de representação presencial em qualquer unidade do Fácil,  enquanto aguarda-se o julgamento de outros processos que julgarão a revogação da Lei Municipal que instituiu a cobrança. 

 

“Nós continuaremos a nossa luta ao lado da população, essa taxa do lixo precisa ser revogada, essa é nossa batalha”, concluiu o presidente.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading