COE Bradesco discute com banco novos parâmetros para o trabalho presencial

A COE Bradesco (Comissão de Organização dos Empregados do Bradesco) e o banco discutiram os critérios para o trabalho presencial em reunião realizada nesta quinta-feira 22.

 

 

O banco alega que existe um movimento generalizado por parte de empresas e governos de retomada das atividades econômicas e, com isso, nota-se maior volume de atendimento na rede de agências.

 

 

Diante disso, o Bradesco irá extinguir o rodízio de funcionários na rede de agências. A partir do dia 4 de outubro, toda a equipe das agências volta ao trabalho presencial, exceto grupo de risco, que deve permanecer em home office.

 

 

O horário de atendimento permanece, por enquanto, com fechamento das unidades às 14h. Assim como a testagem dos bancários e o protocolo Covid-19 para locais onde surgirem casos de infecção (sanitização, afastamento, testagem).

 

 

Por sua vez, a representação dos trabalhadores reivindicou: 

 

 

1 – Reforço na comunicação para cumprimento de protocolos: distanciamento, evitar aglomerações, uso de máscara, higienização, uso do álcool em gel.

 

 

O Bradesco informou que irá fazer o reforço da comunicação dos protocolos.

 

 

2 – O banco está analisando a possibilidade de fornecer máscaras de camada tripla (tecido e tnt), com durabilidade de até 60 lavagens.

 

 

A representação dos trabalhadores aguarda retorno sobre este ponto.

 

 

3 – Liberação dos bancários para uso de roupas menos formais enquanto durar a pandemia.

 

 

A representação dos trabalhadores aguarda retorno sobre este ponto.

 

 

4 –  Nova campanha de testagem para dependentes no plano de saúde.

 

 

A representação dos trabalhadores aguarda retorno sobre este ponto.

 

 

Prédios administrativos

 

 

O Bradesco propõe um plano piloto, dialogado com a representação dos trabalhadores, iniciando pelos prédios administrativos de São Paulo.

 

 

A proposta do banco prevê que o retorno será voluntário e que, no primeiro momento, será de 5% do quadro, que se somará aos outros 5% que permaneceram em trabalho presencial na pandemia, totalizando 10% do quadro de funcionários nos prédios administrativos.

 

 

Somente poderão retornar ao trabalho presencial bancários com a imunização completa (duas doses ou dose única) há pelo menos 14 dias. Bancários do grupo de risco devem permanecer em home office.

 

 

Diante do plano apresentado, a representação dos trabalhadores reivindicou: 

 

 

1 – Escalonamento de horários de entrada/saída e de almoço.

 

 

O banco acatou a reivindicação.

 

 

2 – Reforço na comunicação para cumprimento de protocolos: distanciamento, evitar aglomerações, uso de máscara, higienização, uso do álcool em gel.

 

 

O banco acatou a reivindicação.

 

 

3 – A representação dos bancários demonstrou preocupação com o sistema de ar condicionado das unidades.

 

 

O banco alega que faz a higienização em espaço reduzido de tempo, o que melhora a filtragem do ar nos ambientes.

 

 

“Muitos dos pedidos dos bancários foram contemplados nestes novos parâmetros para o trabalho presencial. O banco afirmou que o fim do rodízio não significa flexibilização de protocolos. Nos manteremos vigilantes, como sempre estivemos, para que tudo o que foi dialogado conosco seja cumprido. Para isso, é fundamental que os bancários do Bradesco continuem nos trazendo todos os problemas assim que aparecerem. Qualquer situação diferente do que foi dialogado na reunião com a COE Bradesco, deve ser denunciada. O sigilo é garantido”

Erica de Oliveira, bancária do Bradesco, diretora do Sindicato e representante de São Paulo na Coe Bradesco.

 

Fonte Seeb SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading