Fenaban enrola, propõe reposição da inflação e bancários recusam proposta em assembleia

Foram necessárias seis rodadas negociações para que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentasse uma proposta vergonhosa para a categoria: reposição da inflação nos salários, PLR, vales e demais verbas econômicas, sem aumento real e sem garantia de que os bancários e bancárias não serão substituídos por trabalhadores contratados de forma precarizada, proposta essa que foi negada em assembleia realizada no dia 08 de agosto, na Sede do Sindicato.

 

Além disso, os banqueiros querem alterar as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho a seu favor, mas sequer apresentaram a proposta das modificações.

 

Só em 2017, os maiores bancos somaram um lucro de mais de R$77,4 bilhões, valor mais que suficiente para propor um aumento digno, mas ao contrário disso eles debocham da categoria, fecham agências e querem enterrar 26 anos de Trabalho com ataques à CCT, com o aval da Reforma Trabalhista do golpista Michel Temer”, explicou o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos.

Dia do Basta – Bancários e bancárias de todo o país uniram-se a outras categorias para o Dia do Basta, organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais Centrais Sindicais. Além da insatisfação com a situação do país, que soma mais de 13 milhões de desempregados, a categoria pressionou a Fenaban para que melhore a proposta apresentada no dia 7 na próxima reunião, marcada para o dia 17.

 

Viemos às ruas dizer para a sociedade que repudiamos a indiferença dos banqueiros, que construíram uma instituição tão sólida do ponto de vista financeiro, a ponto de manipular todo um sistema em benefício próprio. Basta de mandos, desmandos e falta de respeito, basta de demissões, basta de humilhação. Não aceitaremos menos do que merecemos, queremos aumento real e melhoria na participação nos lucros e resultados”, concluiu o presidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

loading